Mostrando postagens com marcador vivendo em Londres. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador vivendo em Londres. Mostrar todas as postagens

Compra de Eletrônicos


Antes de mais nada, gostaria de avisar aos caros turistas que os preços de eletrônicos na Inglaterra não são tão baratos como nos Estados Unidos, alguns itens aqui chegam a custar o dobro de lá, mas mesmo assim, ainda são mais baratos do que compra-los no Brasil.
Londres já teve uma rua inteira só de lojas de eletrônicos, porém, a grande maioria delas não conseguiu competir com as lojas on-line e fecharam. Hoje, quem quer comprar eletrônicos pessoalmente deve ir mesmo a um Shopping Center como o Westfield (http://uk.westfield.com/london) ou a uma boa loja de departamentos como a John Lewis (http://www.johnlewis.com/electricals/c500001?rdr=1), Harrods (http://www.harrods.com) ou Selfridges (http://www.selfridges.com/en/home-tech/technology/?llc=sn).
Uma boa opção também é ir em uma das lojas da Currys, esse sim, tem quase tudo que vc possa estar procurando. Há lojas da Currys por toda Londres, entre no site e procure pelo post code qual é a mais próxima de você.
Para compra de computadores e periféricos, uma excelente opção é o site eBuyer (http://ebuyer.com/), esse tem preços campeões, porém você vai ter que pedir online e aguardar a entrega, que não demora mais do que 48 horas. O lado negativo é que você não vai poder pedir o formulário do Tax Back.

A Amazon é sempre uma excelente opção também, porém, assim como no eBuyer, você não vai poder pedir o formulário do Tax Back.
Quando você estiver a turismo aqui e for realizar suas compras, não esqueça de pedir o formulario do Tax Back (imposto de volta) (VAT = 20%), assim você poderá obter de volta em torno de 12% do valor do ítem quando estiver saindo da Europa.

Filho pequeno em Londres

Vou começar esse post dizendo que ter filhos na Inglaterra não é algo que gere tanta despesa como no Brasil ou resto da Europa (pelo menos pelos primeiros anos de vida antes de entrarem na escola), digo isso de experiencia própria, pois tenho duas filhas pequenas e estou passando por todas as experiências nesse sentido, principalmente no quesito financeiro.

Vamos começar pela gravidez, onde que, graças ao excelente sistema de saúde público britânico, o NHS, a mamãe nunca vai ter que desembolsar um tostão em consultas e acompanhamento durante toda a gravidez. O parto seja ele como for, natural ou cesária, não tem custo algum. A mãe fica isenta de qualquer custo com remédios desde o momento que a gravidez é confirmada até o bebê completar 1 ano,  no caso da criança, ela não pagará por nenhuma medicação até fazer 16 anos. É isso mesmo que vc leu, vc não pagará por nenhum remédio que seus filhos precisem até eles completarem 16 anos (conte isso para um amigo que more nos Estados Unidos e espere a reação!).

Aqui na Inglaterra os produtos para crianças e adolescentes até os 16 anos são isentos do imposto único de 20% (VAT = Value-added tax), além disso, diversos itens recebem subsidio do governo,  resultando em preços muito baixos para itens para essa faixa etária. Um pacote de 48 fraldas descartáveis do super mercado ASDA, que por sinal são excelentes, custam apenas £2.99, isso mesmo, duas libras e noventa e nove centavos por 48 fraldas, um preço absolutamente surreal até para os padrões Europeus onde na França por exemplo, um pacote de fraldas equivalente custa na casa dos €25 euros. 

Os super mercados Sainsburys e ASDA tem coleções de roupas para bebês e crianças muito boas, bonitas e de qualidade, principalmente para uso mais casual ou em casa/escola. Claro, se você quiser vestir as crianças com roupas de grife, os preços ficaram BEM MAIS salgados, mas ainda assim, pelo fato de serem isentos do VAT, saem mais baratos que o normal. A NEXT por exemplo tem coleções de roupas para bebês e crianças de deixar qualquer mamãe louca, tudo com preços muito bons. Com relação a roupas de grife, as preferidas aqui de casa são Ted Baker e Mayoral, são de cair o queixo.

Em compensação.... o custo mensal de uma creche é astronômico. Creche aqui é mais caro que a mais caras das universidades de Cambridge ou Oxford. Estamos falando de pelo menos £1.500,00 por mês por criança, claro, creche de segunda a sexta em tempo integral. Depois que a criança completa 3 anos, o governo oferece 30 horas semanais subsidiadas, o que dá meio período por dia de segunda a sexta, caso você necessite que ela fique o dia inteiro, essa diferença de custo fica por sua conta. Há casais que um dos parceiros deixa de trabalhar para tomar conta dos filhos até eles fazerem 3 anos ou entrarem na escola aos 4, pois a depender do salário, não compensa deixar os pequenos na creche para ir trabalhar. 

Comidas, papinhas, brinquedos e acessórios excluindo carrinhos de bebê (que você pode comprar de segunda mão no eBay em estado de novo por uma barganha) são muito baratos devido a isenção do VAT e subsidio do governo. Por sinal, nos super mercados há ótimas opções de papinhas 100% naturais e orgânicas que os bebês e crianças adoram.





Contas Residenciais

Se você alugou um flat (apto) ou uma casa para si mesmo, é muito importante que você tome nota dos números do relógio do marcador de água, luz e gás e entre em contato com cada uma das fornecedoras dos serviços e avise que você é o novo inquilino, informando os números que constam nos relógios para que depois não venha uma conta para vc pagar de gastos que não foram seus.
Tem muita gente que sai do imóvel e esquece de avisar as empresas fornecedoras dos serviços, dai o proximo inquilino acaba tendo uma grande dor de cabeça, pois uma bela conta irá chegar, até provar que rapadura não é tijolo, o sujeito vai ter que pagar a conta, se não, correrá o risco de ter os serviços cortados. Portanto, é muito importante tomar nota dos números nos marcadores (relógios) e entrar em contato imediatamente com as fornecedoras. (Pergunte ao Landlord quem são elas)

O Council Tax (nosso IPTU) é outra conta que deve ser transferida para seu nome. Se você é estudante, será isento, se morar sozinho, você terá um desconto, porém o Council precisa saber disso, portanto, entre em contato e avise!
Um bom landlord (dono do imóvel) normalmente faz tudo isso para o novo inquilino, mas há sempre aquele que fogem a regra. É bom ficar ligado.

Trabalhando em Londres

Para quem tem passaporte europeu, trabalhar em qualquer país da Comunidade Europeia (E.U.) não é empecilho, já que por lei, todos que fazem parte da comunidade, tem os mesmo direitos e deveres. Para quem não faz parte do comunidade, o buraco é mais embaixo…
Falando bem honestamente, se você não tem passaporte Europeu, suas chances de poder trabalhar legalmente no Reino Unido são muito baixas, na verdade, existem duas possibilidades.
A primeira e mais popular opção é vir como estudante, claro, com curso de duração acima de 6 meses, pois se vc vier para um curso que dure menos do que isso você entra com visto de turista, e turista não pode trabalhar.
Pessoas com visto de estudante (TIER 4) tem direito a trabalhar apenas 10 horas semanais no período de aulas, tempo esse que honestamente não dá pra nada, pois é, foi-se o tempo (meu tempo) em que estudantes podiam trabalhar 20 horas por semana. Durante o período de férias é permitido trabalhar em tempo integral, porém quem é que vai querer empregar alguém por um período tão curto? As leis foram mudadas mesmo para tornar o trabalho para estudante quase que impossível. Veja: https://www.gov.uk/student-visa
A segunda opção é o visto de trabalho, o work permit, conhecido como TIER 2 VISA, possivelmente adquirido nos casos onde o sujeito já trabalha para uma empresa multinacional com sede ou filial na Inglaterra, caso ele(a) consiga uma transferência para cá, o visto é mais facilmente concedido, ou, quando você além de ser muito bem qualificado na sua área, provar que tem uma oferta de emprego oferecida por uma determinada empresa no Reino Unido (pode ser até mesmo uma filial da mesma empresa que vc trabalha atualmente, como um Banco por exemplo), e ela vai ter que patrocinar sua vinda… é complicado! Bem, se você quiser pesquisar sobre essa opção, eu acredito que seu nível de inglês deva ser avançado, por tanto, segue o link para mais informações sobre o TIER 2: https://www.gov.uk/tier-2-general, é um processo complicado mas não impossível. Eu já consegui!

Dicas de Turismo em Londres

Chegou em Londres e quer ver o que há de mais interessante? Recomendo imediatamente a você pegar o ônibus de turismo chamado Original Tour, custa £25 para adultos e £12 para crianças. Ele passa por todos os principais pontos turísticos de Londres, e ainda tem a vantagem de você poder descer em qualquer destes lugares, voltar e pegar o ônibus novamente pois eles são circulares e são varios. Acesse o site para mais informações! Recomendo mesmo!
Eu pessoalmente recomendo reservar pelo menos 5 a 7 dias para conhecer Londres, o ideal mesmo seria 1 ano! Viver todas as estações do ano, pois cada uma delas transforma essa cidade!
Existem milhares de opções para conhecer e aproveitar o que essa cidade milenar tem a oferecer: fantásticos museus gratuitos, parques urbanos como o Hyde Park, o Regent's Park e o Richmond, teatros com espetáculos da Broadway, galerias de arte com obras dos mais famosos artistas da humanidade, pubs históricos como o The Churchill Arms onde o ex primeiro ministro Churchill costumava beber com os amigos, cafés. shows e concertosfeiras de rua ricas em objetos curiosissimos, mercados imperdíveis como o de Borough Market as sextas-feiras e sábados, livrarias com livros a preços incomparavelmente mais baixos do que no Brasil.
Claro, a maioria das coisas querer dinheiro, mas nada que vá deixa-lo(la) de carteira vazia! De qualquer forma, há muitas alternativas gratuitas como por exemplo, os museus, que são praticamente todos de graça (eu particularmente recomendo o Victoria & Albert, o Museu de Historia Natural e o Museu de Ciência e Tecnologia em South Kensington)!
Uma dica extra vai para aqueles que realmente gostam de explorar o lugar ao máximo, ao espirito Indiana Jones! Aqui vai a dica, SECRET LONDON, acesse http://www.secret-london.co.uk, esse site você te ajudar a encontrar diversas curiosidades sobre Londres, ruas escondidas, lugares extintos, pubs "secretos", todo tipo de curiosidade que uma cidade milenar como Londres tem a oferecer! Aproveite! cada esquina de Londres tem uma história para contar!
Dica 1: Para obter extra informações turísticas sobre Londres e redondezas, visite o London Tourist Information Centres, há vários espelhados por Londres, vale a pena. 
Há também um ponto novo e localizado da famosa praça de Leicester Square, (lê-se Leister Square), é o London Information Centre, aberto diariamente das 8h-12h apenas. Existem ainda mais dois outros postos de informações, um fica próximo a catedral de St. Paul's aberto seg/sáb das 9h30-17h30, e o outro na estação de St. Pancras, onde fica o Eurostar.
Dica 2: Como todos sabem, Londres foi e continua sendo uma cidade onde grandes personalidades moraram ou ainda moram, além ter sido local de eventos que mudaram a história.
Em 1986 nasceu a idéia de se instalar uma placa azul, em inglês, blue plaque, em todos os espaços públicos para celebrar a ligação entre aquele local e uma pessoa ou evento famoso.
Andando pelas ruas de Londres você poderá encontrar em diversos locais, principalmente em casas as famosas placas azuis, indicanco por exempo "Mahatma Gandhi 1896-1948 lived here as a law student". Alguns desses locais estão abertos para visitas, outros não, são hoje propriedade particular de alguém.
Se você se interessa pelo assunto e quem sabe gostaria de conhecer o lugar onde alguma personalidade que você admira morou, trabalhou etc, essa é uma boa oportunidade!A lista das Blue Plaques com seus devidos endereços você encontra no seguinte site: http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_blue_plaques
Boa caçada!

Sua linha telefônica fixa

Com tarifas de telefone celular tão baratas, ter uma linha telefônica em casa deixou de ser uma vantagem, de qualquer forma, se você for pagar por internet fixa, muito provavelmente ela virá com uma linha telefônica, que você pode ou não usar.

Existem diversas empresas que podem instalar sua conexão de internet fixa, veja o site comparativo aqui https://www.broadband-finder.co.uk. Lá você vai encontrar uma relação de todas as empresas provedoras e comparações de preços e serviços.

Algumas destas empresas cobram um custo inicial de instalação caso a sua casa nunca tenha tido conexão com linha telefônica. Se já teve anteriormente, eles não cobram nada para instalar.

Onde Morar em Londres?

Essa é uma duvida que quase todo mundo tem quando está a caminho de Londres. Que lugar é bom de morar? Quando vai me custar? Por falta dessas informações, o sujeito acaba ficando a mercê das agência de viagens, que na maioria das vezes cobram preços exorbitantes por acomodações pobres e podres.
Então, deixe me explicar como funciona a moradia em Londres.
Como quase tudo nessa vida material, o quesito “poder financeiro” será o principal fator decisivo de onde será o seu berço. Londres é uma cidade grande, alias, a maior cidade da Europa, (minúscula comparada a uma São Paulo da vida), ela é dividida por regiões e zonas!
As regiões são organizas pelos pontos cardeais, que por sinal, está explicito no postcode, ou CEP. Pelo seu postcode, as pessoas aqui já tem ideia do seu poder econômico, o dito é formado por letras e números, diz precisamente onde vc mora sem precisar de endereço completo! Quem mora na região com postcode que começa por W1 por exemplo, pertence a turma que tem muito dinheiro, W1 quer dizer West, ou seja Oeste de Londres, também conhecida localmente como West End, é nesse postcode que estão lugares como Portland Place, a famosa Regent Street, a Oxford Street, o badalado Soho, Marylebone, o chique Mayfair, a bela Picaddilly, a Hanover Square, a Great Portland Street e Fitzrovia, em locações como essas, espere pagar pelo menos £1.200 por semana por um quarto e sala! Claro, você estará morando no supra sumo de Londres, compartilhando parques e cafés com gente famosa e importante!
A região leste de Londres por exemplo foi um região bastante industrial no passado, era lá que toda a massa trabalhadora, a plebe, morava! Aos poucos, com o passar dos anos, as fábricas foram fechando, algumas áreas foram se modernizando, porém muito da arquitetura “popular” continua lá, as casas são menores, a paisagem não é tão bonita, e a reputação ainda é de uma área povoada por imigrantes de países pobres e pelas camadas mais humildes com algumas exceções como Greenwich, Victoria Park, a Isle of Dogs, Wapping e algumas outras, onde pode-se encontrar empreendimentos modernos e caros de se viver, mas em geral, o prestígio de morar no lado Oeste, seja Noroeste ou seja Sudoeste, não se compara ao lado Leste, seja Nordeste ou Sudeste. Em Whitechapel por exemplo que fica dentro do postcode E1 (East), o aluguel de um quarto e sala cai para em média £360.00 por semana ou menos! Bem, para muitos que estão chegando aqui, esse valor ainda é alto! Na Espanha por exemplo, vc aluga um apto top por um mês pelo preço de uma semana em um quarto e sala em East London! É dureza!!!! Por isso mesmo, dividir habitações com outras pessoas é muito comum na capital inglesa, ou seja, uma turma aluga uma casa ou apartamento (que aqui se chama FLAT) de 4 quartos por exemplo, cada um tem seu quarto, compartilha as áreas comuns da casa e divide o aluguel!
É comum encontrar anúncios, de pessoas procurando por flatmates, ou seja, parceiros de casa, tentando alugar um quarto da habitação para alguém! Isso é muito normal. Com esse sistema de dividir a habitação com outras pessoas, vc acaba conseguindo viver num lugar mais bacana sem ter que vender os olhos da cara para pagar o aluguel.
Um fato interessante é que cada área de Londres determina qual a maioria étnica que mora no local, o sudoeste (SE) por exemplo tem predominância de negros, sejam britânicos ou não, a região leste (E) tem predominância de asiáticos (indianos, paquistaneses e bangladeches), o norte (N, NW) e sudoeste (SW) tem predominância branca, seja britânica ou não.
Esse mapa: http://now-here-this.timeout.com/2013/09/10/londons-ethnicities-mapped/ te ajudará a entender melhor essa distribuição.
Agora que vc já entendeu como as regiões são organizadas, vamos as zonas! Londres é composta de 9 zonas. Imagine um gigante circulo englobando toda a grande Londres, dentro desse circulo um outro um pouco menor, e assim por diante, até chegar a um pequeno circulo bem no centro da cidade! Pois bem, são 9 deles, quanto mais perto do centro de Londres, menor é a circunferência da zona e mais caro o aluguel de uma habitação vai ficando. Agora faça a combinação entre zonas e regiões e você terá uma base do valor do aluguel! Um flat na região N zona 1 custa muito mais caro do que um na região N zona 4 por exemplo.
A brasileirada aqui meio que construiu um gueto, uma região que vivem muitos de nós, é a NW8, NW9, NW10 precisamente os bairros de Kilburn, Willesden Green, Dollis Hill, Harlesden e Kensal Rise! Nessa região a comunidade brasileira é grande, lá você encontra muitos mercadinhos, restaurantes e lojas brasileiras. Se você está vindo para Londres para aprender inglês eu realmente não conselho morar nessa região, porém se você se encontra naquele grupo de brasileiros que vêm pra Londres, não fazem questão de aprender inglês, de se misturar com a cultura local, aprender sobre os costumes e tradições inglesas, ou irão ter uma rotina casa-trabalho-casa e já vem contando os dias para voltar para o Brasil, bem, então esse é o lugar perfeito para você morar!
Dicas pessoais de lugares legais para morar em Londres: Clapham Common (sul) (cheio de bons restaurantes, bares/baladas e um belo parque), Greenwish ou Isle of Dogs (sossego, belas paisagens para o rio Thames, e bons parques), Shoreditch (artes, boas baladas, mercados de rua e famosos grafites), Camden Town (agito, punks, Regents Park perto e muitas facilidades locais), Richmond (calmo, tranquilo e boa vizinhança porém um pouco afastado do centro), Chiswick também é um lugar legal, tranquilo, boa vizinhança e facilidades locais, seguindo o metro linha verde sentido Wimbledon, todas as 6 paradas anteriores (Wimbledon Park, Southfields, East Putney, Parsons Green, Fulham Broadway) incluindo Wimbledon são lugares muito bons de morar, tem uma vizinhança tranquila e um bom centro, evitando a necessidade de ir ao centro de Londres para se abastecer.
Bem, se você estiver com bala na agulha e não tem pena de pagar um bom dinheiro por um lugar especial, então eu recomendo Marylebone, Swiss Cottage, St, John’s Wood, Highgate e Hampstead.
Lugares que eu não recomendo: Stockwell, Elephant & Castle , Brixton, Hackney e adjacências, Shepherd’s Bush, Whitechapel, Stratford, Leyton, Leytonstone, Wembley e adjacências.
Na dúvida, basta me escrever o lugar que vc achou que te darei um parecer o mais rápido possível.
Para completar, como vc acha as habitações para alugar? Bem, para tanto, um pouco de compreensão de inglês se fará necessário. Quase tudo está disponível on-line, existe uma infinidade de imobiliárias na internet, geralmente basta digitar no google.co.uk palavras chaves como por exemplo, o nome do bairro ou região + flat rent = “Southfields flat rent” que você logo vai ter uma lista de imobiliárias que trabalham na área, dai, uma vez acessando o site, basta preencher os requisitos do imóvel que vc está procurando e pronto, o resultado aparecerá. Bem, vale salientar que as imobiliárias negociam imóveis inteiros, se você quiser achar um quarto numa casa/flat que fazem o esquema de dividir o imóvel com quem já está morando lá, então a maneira de busca será diferente, uma vez no google.co.uk, você irá procurar pelas palavras chaves “nome do bairro ou região + flatshare, tipo “Southfields flatshare”. De qualquer forma, existem alguns website especializados em imóveis para serem compartilhados, como o http://www.spareroom.co.uk/flatshare/london/http://uk.easyroommate.comhttps://www.roomhunters.co.uk e o http://www.moveflat.com.
Para o seu governo, anote isso na cabeça:
Normalmente o aluguel é pago mensalmente, porém o valor nos anúncios é geralmente por semana. Para calcular o valor mensal vc precisa multiplicar o valor semanal por 52 (semanas anuais) e dividir por 12 (meses do ano).
Para entrar na casa/flat não compartilhado, normalmente o locatário (em inglês: landlord) pede 6 semanas de calção (devolvido no final do contrato) + 1 mês adiantado, as contas de água, luz, gás e council tax (o nosso IPTU) ficam por sua conta. Se você ainda não mora em Londres, o locatário não tem como verificar no “SPC/Serasa” britânico se você é caloteiro ou não, portanto, é bem capaz que ele te peça mais algumas semanas de calção além das 6 pedidas de costume.
Se você estiver negociando diretamente com o dono do imóvel, tem até a chance de uma negociação, além de não pagar nenhuma taxa administrativa nem comissão, porém se for através de agencia imobiliária, dai as negociações ficam mais restritas, além do calção e aluguel adiantado, vc ainda paga a comissão dela que geralmente é 1 semana de aluguel mais taxas contratuais.
No caso de um imóvel compartilhado, o chamado flatshare, o sistema é mais simples, normalmente eles são negociados diretamente com o dono do imóvel ou com o inquilino que está sublocando, normalmente só se pede 4 a 6 semanas de calção e 1 mês de aluguel adiantado. Nos dois casos, se você quiser quebrar contrato, é pedido um aviso prévio de 1 a 2 meses. Não há taxas de comissão nem taxas contratuais, além das contas já estarem todas incluídas no valor do aluguel.
Continua….

TV Licence


Para quem não sabe, aqui na Inglaterra se paga para assistir televisão (assim como na Alemanha e outros países)! É isso mesmo! Pelo fato da BBC não ter propaganda, é você que paga para ela existir.

Para isso, todos as residências que contem qualquer meio de recepção de sinal de televisão (o que inclui smartphones, tablets e computadores) são obrigados a pagar uma taxa anual de £150,50. Caso contrário corre-se o risco de se pagar uma multa de £1,000.00 caso um fiscal da TV Licence apareça na sua casa (e eles aparecem mesmo!) e verifique que você não está pagando a licença.

O pagamento desta licença pode ser dividido em várias parcelas. Para saber mais, visite o site da TV Licence: https://www.tvlicensing.co.uk

Remédios

Remédios… trago do Brasil ou compro aí? Essa é uma clássica pergunta!
Trazer remédios sem prescrição médica na sua bagagem é um risco, pois, se por acaso a imigração resolver abrir a sua mala, seus remédios desacompanhados de prescrição médica ficarão confiscados, mas essa não é uma prática abtual, ou seja, se quiser, traga os remédios que você está acostumado a tomar deste criança aí no Brasil, que você sabe que funciona bem com o seu organismo.
Com certeza você vai encontrar os mesmos remédios aqui, porém serão mais caros pois estarão sendo vendidos em libras, além do nome, que provavelmente você não vai saber como se chama, pois estará em inglês, eu mesmo tenho esse problema! Países diferentes têm os mesmo remédios, porém com nomes diferentes, claro, há sempre os casos a parte.
Diversos remédios incluindo anticoncepcionais, podem ser adquiridos gratuitamente nos postos de saúde pública (GPs). Aqueles que precisam de prescrição médica, só com prescrição médica mesmo! Não tem “jeitinho” não. Aqui você não compra rémedio de tarja preta sem prescrição como no Brasil.
Basicamente existem duas grandes redes de farmácias aqui em UK, a Boots e a Superdrug. Há também as farmácias do próprio NHS.

Remédios contra gripe, resfriados e dores de cabeça são vendidos em todos os super mercados, sem problemas, porém se você passar mal as 11 horas da noite de um domingo, fique certo(a) que não irás encontrar um farmácia aberta tão fácil. Melhor se garantir com anti-alérgicos, anti-inflamatório e antibióticos.

Serviço de Saúde Pública

O serviço de saúde pública na Inglaterra (NHS) é completamente gratuito, mas ter plano de sáude privado também é aconselhável. Eu tenho!
Caso você venha passar muito tempo aqui fora, cancele seu plano de saúde no Brasil, aqui na Inglaterra você não vai precisar usa-lo. É importante sim, se cadastrar assim que possível em um GP, que são centros de atendimento médico. Procure o GP mais próximo da casa onde você vai morar e se cadastre.
Uma vez cadastrado, será muito mais tranquilo procurar ajuda médica caso precise. O NHS é fantástico para emergências, mas para não emergências, pode ser um pouco chato, tratamentos mais específicos demoram muito, o que pode ser um desastre para você caso o problema se evolua com rapidez… por isso, se você tem intenções de morar aqui por muito tempo, é muito aconselhável que tenhas um plano privado, pois qualquer atendimento médico, seja um tratamento ou exame, é feito pra ontem como se diz no popular, e com saúde, não se brinca.

Adquirindo um Carro

Antes de mais nada, é bom saber que a Inglaterra é o país onde vc compra carro mais barato na Europa! Eu acredito que é pelo fato de apenas aqui o volante ser do lado direito, tornando o mercado um pouco restrito, abaixando o preço.

Adquirir um carro aqui não é lá muito complicado. Para compra-lo novo, não há segredo, basta ir em uma concessionária e financila-lo ou comprar em cash! Para comprar usado, uma das melhores opções é acessar o site AutoTrader (http://www.autotrader.co.uk/) e procurar pelo modelo desejado. 

Esse é o site mais usados por todos que querem comprar ou vender automóveis, tanto carros quanto motos ou vans.

Na hora de comprar um carro usado, existem alguns detalhes a serem observados:
– O primeiro é verificar se o Certificado de M.O.T.(*) está valido, caso contrario, você terá que levar o carro a uma oficina autorizada para ter o carro testado e obter o certificado de M.O.T., e isso não é de graça. Por tanto, é bom comprar um carro que esteja com o certificado de M.O.T. válido (vale por 1 ano)
– Segundo, verificar se o Road Tax está pago (Road Tax é o nosso IPVA). Diferente do Brasil onde você paga o IPVA de acordo com o valor do carro, aqui você paga de acordo com a quantidade de CO2/km que o seu carro emite. Se o seu carro emite até 100g de CO2/km ele está isento de impostos! Os preços variam a partir de 101g de CO2/km até acima de 225g/km onde você paga o máximo de £515 libras por ano. Veja a tabela em (http://www.direct.gov.uk/en/Motoring/OwningAVehicle/HowToTaxYourVehicle/DG_10012524)
– Terceiro, aqui seguro é obrigatório, e cada tipo e modelo de carro pertence a uma categoria de valor de seguro. Portanto, antes de comprar a caranga, fique atendo a que categoria de seguro seu carro desejado pertence para não pagar mais pelo seguro do que pelo carro!

Aqui, o seu tempo de carteira, idade e os bônus de seguro contam muito. A carteira brasileira só vale por um ano,  não é aceita por várias seguradoras e a internacional leva cota máxima.

Minha sugestão para aqueles que estão vindo morar aqui sem planos de voltar tão cedo é: faça os devidos testes e tire a carteira de motorista britânica logo que chegar, depois compre um carro de categoria de seguro baixo. Fique usando a caranga por uns 3 anos. Depois de 3 anos sem acidentes, você estará com 3 anos de carteira, 3 anos de bônus de seguro e com crédito na praça. Ou seja, vai poder comprar uma bela máquina Okm, pagar uma pechincha por mês fazendo um leasing (taxa de juros varia de 0% a 9% ao ano), e ter um excelente desconto no seguro, mesmo que o carro pertença a uma categoria de seguro mais alta. Sacou?

A mesma coisa funciona para motos.


(*) M.O.T. é um certificado que confirma que o veiculo, depois de testado, passou pelas exigências mínimas aceitáveis para rodar com segurança, de acordo com os padrões requeridos pela lei.

Cinema Ilimitado

Para quem gosta de ir ao cinema, a rede de cinema Cine World tem uma boa proposta, um contrato de 12 meses onde você paga £17,90 por mês debitados em conta e tem acesso ilimitado apara assistir quantos filmes você quiser assistir. Eu considero uma ótima proposta, já que em Londres, na maioria dos cinemas, se você for comprar um bilhete para assistir um único filme pode te custar entre £8 a £18.
Para assinar seu contrato você precisa ir num Cine World mais perto com seu passaporte e seu último extrato bancário recebido pelo correio.

Nota: Infelizmente devido a pandemia, a rede Cineworld está fechada até segunda ordem. Eu acho que faliu.

Economize sua Grana!!!


Uma dica que ninguém me deu! Se você não for rico, então a dica é essa, economize seu dinheiro quando chegar em Londres, não invente de comprar eletrônicos, roupas etc sem antes estar com um emprego fixo e certo.
Digo isso pois tudo aqui é muito acessível; roupas, eletrônicos, guloseimas etc. A todo momento você encontra lojas com descontos inacreditáveis, porém, você deve conhecer aquele ditado que diz que de grão em grão a galinha enche o papo, de mesma forma acontece com o seu bolso, de promoções em promoções, suas libras somem da sua carteira. Conheço pessoas que gastaram 500 libras na primeira semana… depois viram a besteira que tinham feito.
Segure sua grana até estar bem estabelecido.
Depois não diga que não avisei!!!!

Supermercado


Londres tem grandes redes de supermercados onde você pode comprar de tudo por todos os preços e qualidades. O que vai decidir a compra em uma rede especifica vai ser muito provavelmente o seu bolso. Para ser bem objetivo, vou explicar como eles são organizados.

Para o público A+ e A existem as redes Mark&Spencer e Waitrose com pouca variedade de produtos, porém todos são da mais alta qualidade, são verdadeiras super delicatessens. Para o público B e C existem as maiores redes que são TescoSainsbury'sASDA e Co-operative, e para o público D e E existem as redes LIDL ALDI e Morrisons, e finalmente para quem está realmente procurando gastar o mínimo, existe a rede POUNDLAND, onde como o próprio nome já diz, tudo (ou quase tudo) é vendido por 1 pound (1 libra).

Para quem tem preferencia por produtos orgânicos e de altíssima qualidade, a  rede americana Whole Foods é sem duvida um oasis. O mercado é absolutamente incrível, mas prepare o bolso!

Minha sugestão é que você visite cada uma delas para conhecer o que existe disponível, pois mesmo que cada um deles seja direcionado para uma camada social, sempre há alguma coisa que um tem e o outro não tem e que faz falta!

Para saber qual desses mercados estão mais próximos da sua casa, basta ir no site do mercado e procurar pelo link "store locator", a partir do seu post code, o site informa onde está o mercado específico mais próximo.

Quase todas as grandes redes tem opção de entrega em casa por £2 libras, basta fazer as compras on-line. Vale a pena.

Transporte Público


O transporte público em Londres é excelente, eficiente e caro. Muito caro, mais caro do que qualquer capital da Europa acredito eu, uma verdadeira extorsão.

Para o ser governo, Londres é servida diversos meios de transporte, são eles:

- 11 linhas de metrô com um total de 270 estações.
- Trens convencionais que trazem pessoas que moram fora da Grande Londres para a capital, assim como leva os Londrinos para qualquer parte da ilha.
- Trens de superfície, conhecidos como Overground
Trams, um pequeno trem de superfície que roda na região de Croydon.
- DLR (Docklands Light Railway), um trem leve e automatizado que roda pela antiga região das docas de Londres.
- O bom e velho Onibus, que cobrem toda a cidade com uma eficiência admiradora.
- Thames Clippers, que são catamarans de alta velocidade que transportam pessoas pra baixo e pra cima do rio Thames, dentro dos limites da cidade.

O legal é que todos eles são interligados!

Os transportes públicos podem ser pagos com cartão de débito habilitados com a tecnologia Contactless, com o cartão pré-pago chamado Oyster Card ou com o convencional ticket de papel.

O cartão Oyster Card custa £5 (reembolsáveis caso vc o devolva) e nele você poderá fazer recargas de crédito no valor desejado ou pode ser carregado com um ticket semanal ou mensal com viagens ilimitadas dentro das zonas escolhidas.

Existe também o cartão Oyster Card para estudantes! Com ele o estudante obtém 30% de desconto nos tickets semanais ou mensais. Mais informações aqui: https://tfl.gov.uk/fares-and-payments/adult-discounts-and-concessions/18-student

O valor do ticket semanal ou mensal que você carrega no seu Oyster Card varia de acordo com o numero de zona que você deseja ter acesso (entenda mais sobre as zonas no meu post "Londres é dividida por Zonas". Por exemplo, zona 1-2 ou 1-4, quando mais zonas você desejar ter acesso, mais caro ficará o seu ticket.

A limitação do seus ticket com relação a que zonas você tem acesso não se aplica aos ônibus. Mesmo que seu ticket seja apenas zona 1-2, ele é válido nos ônibus em qualquer zona da cidade.

No uso de um Oyster Card ou Cartão de Débito com tecnologia Contactless, o crédito debitado nos mesmos é válido por ilimitadas viagens de ônibus, contanto que todas tenham sido feita dentro de 60 minutos. Ou seja, se vc trocar de ônibus varias vezes para chegar ao seu destino dentro do limite de 60 minutos, você só será cobrado a tarifa do primeiro ônibus.

O ticket semanal ou mensal pode ser comprado também na forma de um ticket de papel, porém não é recomendável, pois se vc perde-lo, um abraço, lá se foi o seu dinheiro! Já o Oyster Card, se for registrado e você o perde-lo, pode ser imediatamente cancelado e seu credito restituído. O único ticket de papel que eu recomendo comprar é o 1 Day Travel Card, ou seja, valido ilimitadamente para todos os meios de transportes acima mencionados, por apenas 1 dia (não 24hrs).

Os ônibus não aceitam mais dinheiro em espécie, apenas Oyster Cards, Cartões de Debito Contactless ou ticket de papel, portanto, fique atento.

Pagar por viagens individuais pode ficar muito mais barato do que comprar um ticket Travelcard semanal ou mensal, é bom fazer as contas e ver o que é mais vantajoso.

Crianças até 5 anos não pagam transporte quando estão acompanhadas de um adulto, seja qual transporte for.

Crianças de 5 a 10 anos também não pagam transporte quando estão acompanhadas de um adulto, com exceção de ônibus, pois nesses elas podem estar sozinhas que não há problema.

Crianças de 11 a 15 anos viajam de graça em ônibus e tem tarifa reduzida (child-rate) na compra de um Oyster Card!

Informações mais completas sobre tarifas para crianças em geral podem ser encontradas na pagina http://www.toptiplondon.com/transport/tickets/child-underground-tickets-travelcards-oyster




O céu de Londres é cinza?


Vamos ser um pouco realistas, a Inglaterra não é um país tropical, portanto você não vai encontrar dias de sol maravilhosos com a mesma constância de quem mora no centro-oeste e nordeste brasileiro, mas tenho que dizer que Londres chove como qualquer cidade do mundo. Há dias de sol com um céu azul maravilhoso (assim como um belo por-de-sol) como tem dias de chuva, que na verdade eu chamaria de garôa, particularmente desde que cheguei aqui no final de 2005, pouquissimas vezes eu presenciei uma chuva do tipo tropical, daquelas que parece que o céu está desabando como temos no Brasil. A maioria das vezes que vejo chover, é como eu disse, uma garôa que só faz umidecer a roupa, nada de mais! Uma vez ou outra cai chuva “que molha”!
No inverno particularmente o tempo permanece nublado a maior parte do dia e o tempo de luz solar é muito curto pois o sol passa a nascer as 7:30 da manhã e se põe as 4 da tarde, ou seja, 4:30 já está tudo escuro! Daí o mito que Londres tem o céu cinza.
Em compensação, no verão, é o inverso, você já vê o céu começar a clarear as 3:30 da manhã e as 11 da noite o céu ainda não escureceu completamente. É muito louco isso! Pra mim que sou fotógrafo, é um período muito bom.

Quer ver como anda o tempo por aqui?
Acesse: http://www.bbc.co.uk/weather/5day.shtml

Londres é uma cidade cara?


Se você ganha em qualquer outra moeda que não seja em Libra Esterlina e vem para cá para gastar, com certeza vai achar tudo caríssimo na hora de converter as moedas, ainda mais agora com essa terrível desvalorização do Real. Porém, se você ganha em Libras, vai sentir como tudo é bem mais barato do que no Brasil, encontrando muitas vezes, itens sendo vendidos por preços inacreditáveis.
Eu costumo dizer que tudo em Londres é barato ou planamente acessível, principalmente quando comparamos aos preços praticados no Brasil. As únicas duas coisas que eu acho caro aqui, são os imóveis e o transporte público.
Devido a especulação imobiliária que vem acontecendo a anos, Londres se tornou uma bolha. O valor dos imóveis nessa cidade são desproporcionais a qualquer lugar do mundo. Basta dizer que 1/4 e sala de luxo passa de 1 milhão de libras. Tem gente vendendo uma vaga de garagem por 80 mil libras. Sacou?
O transporte público é caro mesmo, para se viajar apenas pelas zonas 1 e 2, gasta-se por mês, £126,80 libras, quase o dobro que se gasta em Zurich, uma das cidades realmente mais caras do mundo.
Fora isso, comer, se divertir, comprar, viajar, é muito acessível, principalmente quando se trabalha e se ganha aqui!
Lembre-se do velho ditado! “Quem converte, não se diverte!

5 BAIRROS POR ONDE VALE A PENA SE PERDER NAS COMPRAR E NA GULA!

MAYFAIR – Um dos bairros mais chiques de Londres, localizado a sul da Oxford Street, no interior do quadrado formado pelas Oxford e Regent Street (a norte e a leste, respectivamente), Piccadilly (a sul) e Park Lane (a oeste). Um quadrado banhado a ouro chamado Mayfair. Lá você vai encontrar as melhores lojas de roupa, joias, sapatos e acessórios do mundo, tais como Dior, Hermes, Miu Miu, Chanel, uma loja da Victoria’s Secrets de 16 mil metros quadrados, a loja da Victoria Beckham, Jimmy Choo, Chirstian Louboutin, Alexander McQueen dentre todas as outras que possam passer por sua cameça. Prepare o bolso, porque em Mayfair você irá tudo do bom e do melhor, porém talvez fiquem os olhos da cara!

MARYLEBONE – Marylebone High Street é uma rua especial no West End de Londres, repleta de excelentes restaurantes e boutiques exclusivas, assim como cafeterias ultra chiques e livrarias de conteúdo especial como a La Fromagerie e a Daunt Books. Marylebone é a vizinha a norte de Mayfair e, sendo chique, é-o de uma forma mais indie. Fica a norte da Oxford Street e a sul do Regent’s Park, por suas redondezas estão a fictícia casa do Sherlock Holmes, o Museu Madame Tussaud, a Fundação Calouste Gulbenkian, a reputada escolar de cozinha Le Cordon Bleu, a instituição de decoração que é a Conrad Shop e a única loja Kusmi Tea da cidade. E bem perto das suas fronteiras fica a Harrods, onde recentemente abriu a maior loja de sapatos do mundo, a Shoe Heaven, com 42 mil metros quadrados só de sapatos! Divirta-se!

NOTTING HILL – Excelente lugar para se comer bem! As dicas são, Notting Hill Kitchen do chef português Luís Baena, a hamburgeria Electric Diner, a pizzeria Pizza East, a padaria Gail’s que faz do pão e dos bolos, das papas de aveia e da granola, dos ovos com polenta e das fatias douradas boas razões para contaminação!
Para os fanáticos por comida orgânica, recomendo a Daylesford, que vence a batalha acenando a bandeira da agricultura orgânica há 30 anos, a partir de um pequeno sítio no interior da Inglaterra.
O Ottolengul é também uma ótima opção para quem gosta de comer healthy , eles utilizam produtos locais, artesanais, frescos, sem corantes nem conservantes!  Vale a pena conferir.
O Pub The Churchil’s Arms localizado na Kensington Church Street é outro lugar especial, uma verdadeira experiência! Ele possui um restaurante tailandês ao fundo, onde todos os pratos são deliciosos e todos custam exatos £8,50!
Ah, todo sábado tem a Feira de Portobello Market, onde você irá encontrar de tudo, começando por antiguidades,  passando por artesanatos, roupas vintage e muitas deliciosas comidas de rua de todas as partes do mundo.

CHELSEA – Um bairro com uma variedade de atividades a fazer. Começando por tomar um café da manhã na orgânica Daylesford, comprar de um ramo de flores na Wild at Heart com a assinatura da famosa Nikki Tibbles, que trabalha com flores há mais de 20 anos, visitar a umas quantas galerias e alguns antiquários, assim como assistir as exposições da Saatchi Gallery e almoçar no healthy  Good Life Eatery, o primeiro restaurante de uma tendência que vem com saldas, sementes, sucos e batidas (e sem glúten). Pela tarde você pode vagar no bairro entre a very British Stella McCartney (na Fulham Road), a Sloane Square, onde fica a loja da Hugo Boss e o novo espaço da americana J. Crew e a Sloane Avenue, recheada com Bulgari, Cartier e D&G.
O bairro que até o começo do século XVI era apenas uma aldeia de pescadores junto ao rio e a partir do século XVII o lugar dos ricos, é hoje, entre muitas coisas, o lugar onde o galáctico Gordon Ramsay implementou, em 1998, o seu restaurante de fine dinning com três estrelas Michelin.
Chelsea já foi um bairro boêmio, onde o movimento punk ganhou fulgor. Na icónica King’s Road, a não menos icónica estilista britânica Viviene Westwood inaugurou a sua primeira loja, e aqui viveram os músicos Malcom McLaren, Mick Jagger, Keith Richards e os Beatles! Atualmente o bairro abandonou o visual punk. Cresceu, tornou-se yuppie, substituiu os picos nos casacos por ternos, gravatas e Porsches.

SHOREDITCH E DALSTON – Em Londres há espaço para tudo e para todos. E no East End dá-se um jeito ainda mais. Há muito que esta zona, a nordeste da cidade abandonou a sua conotação negativa e o lado mais obscuro. Os artistas ajudaram a efetivar a mudança. O chef Nuno Mendes foi um deles. Em 2006 abriu o primeiro restaurante, Bacchus, na Hoxton Street, em Shoreditch. Depois usou o seu apartamento (também em Shoreditch) para o supper club The Loft Project. Em 2010 abriu o Viajante no Town Hall Hotel em Bethnal Green, o que lhe valeu a primeira estrela Michelin.
The Chove Club também abriu num bonito Town Hall, mas o de Shoreditch. E também ganhou a primeira estrela Michelin. Os donos têm também no currículo experiências de supper cllub no East End. A cozinha, liderada pelo jovem e criativo chefe de cozinha irlandês Isaac MacHale, é modern english. Provando que a gastronomia britânica está muito bem, obrigado.
Londres sempre recebeu bem todo o mundo – e o mundo todo sente-se em casa aqui. Uma das últimas modas é a cozinha Peruana. O prestigiado Virgílio Martínez (de Central em Lima, número 15 na lista dos 50 melhores restaurantes do mundo) abriu na cidade dois restaurantes, sendo o mais recente o Lima Floral, no Soho (o primeiro dfoi o Lima, em Fitzrovia). Em Shoreditch, a novidade é o Andina com cozinha peruana acessível e bem-disposta.
Bem perto do Andina fica um dos mais recentes projetos de Shoreditch: o Box Park. Um centro comercial pop up, alternativo, feito de uma combinação de containers, onde cabe tudo: da Moleskine a Replay, dos donuts a lojas só de head phones, do design a GAP concept store. Atravessando a rua e entrando no coração de Shoreditch, há que não deixar escapar a Redchurch Street, onde lojas de massa caseira (Burro e Salvia), de chás (T2), bares gays, cafés com lojas de decoração (Maison Trois Garçons) ou com cadeiras ao ar  livre (Allpress), lojas com muitos e bons estilistas dentro (Hostem) e os graffiti nas paredes convivem numa harmonia desconcertante.
Aos domigos acontece a tradicional feira de flores na Columbia Road, onde é também casa de uma dos melhores restaurantes espanhóis de Londres, o Laxeiro, absolutamente imperdível, a feira e o restaurante.
Dalston ainda não chegou aí. Com turcos e caribenhos a dominar este pedaço a norte de Shoreditch, o bairro ainda mantém um look clandestino e underground, mesmo depois de os Jogos Olímpicos o colocarem na lista dos locais a não perder da cidade. O Dalston Roof Park, um centro cultural com bar no topo de um edifício, o Oto, café-conserto com uma programação cultural rica e o histórico bar de jazz Vortex, dão-lhe um clima artístico que tem tudo para vingar. E dar o que falar.
Em Dalston abriu também The Portuguese Conspiracy, uma deli portuguesa, com bacalhau a Bras e vinhos, uma outra boa opção para quem ama uma boa comida.

Suas Contas Residenciais

Se você alugou um flat (apto) ou uma casa para si mesmo, é muito importante que você tome nota dos números do relógio do marcador de água, luz e gás e entre em contato com cada uma das fornecedoras dos serviços e avise que você é o novo inquilino, informando os números que constam nos relógios para que depois não venha uma conta para vc pagar de gastos que não foram seus.
Tem muita gente que sai do imóvel e esquece de avisar as empresas fornecedoras dos serviços, dai o proximo inquilino acaba tendo uma grande dor de cabeça, pois uma bela conta irá chegar e até provar que rapadura não é tijolo, o sujeito vai ter que pagar a conta, se não, correrá o risco de ter os serviços cortados. Portanto, é muito importante tomar nota dos números nos marcadores (relógios) e entrar em contato imediatamente com as fornecedoras. (Pergunte ao Landlord quem são elas)

O Council Tax (nosso IPTU) é outra conta que deve ser transferida para seu nome. Se você é estudante, será isento, se mora sozinho no imóvel, terá um ótimo desconto, porém o Council precisa saber disso, portanto, entre em contato e avise!

Um bom landlord (dono do imóvel) normalmente faz tudo isso para o novo inquilino, mas há sempre aquele que fogem a regra. É bom ficar ligado.

Introduzindo Londres!

Seja bem vindo a uma das cidades mais cosmopolitas do planeta! Aqui você vai se deparar com uma diversidade de raças e línguas como em quase nenhum outro lugar do mundo. Verá e conhecerá lugares que até então só pertenciam aos seus livros de história e as notícias do Jornal Nacional!
Eu particularmente sou encantado com essa cidade! A qualidade e eficiência do transporte público, a segurança e tranquilidade nas ruas, a diversidade cultural, a história, o desenvolvimento, tudo é excepcional.
Visitar Londres é um investimento que você faz a sua viagem a Europa, ou melhor, é um investimento a sua vida. Ao chegar aqui, faça boas fotos, mas ao mesmo tempo, guarde a câmera por um instante e preste atenção ao que está ao seu redor, debaixo dos seus pés e acima da sua cabeça, pois cada esquina, cada rua, cada ponte tem um riquíssima história por de trás, além dos detalhes arquitetônicos, que para os menos atentos acabam passando despercebidos, infelizmente.
Londres é uma cidade muito fácil de se localizar, pricipalmente utilizando o mapa do metrô, que cobre toda a cidade.

Londres é dividida por zonas, que comecam pela zona 1, bem no “miolo” da cidade até periferia, zona 9! Claro, os principais atrativos turisticos estão na zona 1, pois é a parte mais velha da cidade, onde tudo começou, mas um bom explorador irá perceber que nas demais zonas há muitas coisas para serem visitadas também, como o cemitério de Highgate onde você poderá visitar o túmulo de Karl Marx dentre outros famosos!

Informações e Serviços:
Fuso horário: +2 horas em relação a Brasília.
DDI: 44
Telefone de emergência para Polícia, Ambulância e Bombeiros: 999
Voltagem: 220V
Plug: Três pinos, padrão inglês (diferente do continente) (o adaptador é fácil de comprar na rua ou em super-mercados).